RSS

Maternidade e poesia

04 Maio

Maternidade

Palavras para a Minha Mãe

mãe, tenho pena. esperei sempre que entendesses 
as palavras que nunca disse e os gestos que nunca fiz. 
sei hoje que apenas esperei, mãe, e esperar não é suficiente. 

pelas palavras que nunca disse, pelos gestos que me pediste 
tanto e eu nunca fui capaz de fazer, quero pedir-te 
desculpa, mãe, e sei que pedir desculpa não é suficiente. 

às vezes, quero dizer-te tantas coisas que não consigo, 
a fotografia em que estou ao teu colo é a fotografia 
mais bonita que tenho, gosto de quando estás feliz. 

lê isto: mãe, amo-te. 

eu sei e tu sabes que poderei sempre fingir que não 
escrevi estas palavras, sim, mãe, hei-de fingir que 
não escrevi estas palavras, e tu hás-de fingir que não 
as leste, somos assim, mãe, mas eu sei e tu sabes. 

José Luís Peixoto,  “A Casa, a Escuridão”

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Etiquetas: , ,

2 responses to “Maternidade e poesia

  1. Ta Langone

    Maio 30, 2013 at 2:42 am

    Que lindas essas pinturas.. de quem são? Quero colocar no meu blog!

     
    • De leituras e outros entendimentos...

      Junho 1, 2013 at 9:47 pm

      A Biblioteca fez uma montagem de várias pinturas que passam no slideshow – se clica em cada uma, aparece o nome e autor. A do meio, inferior, é a famosa ‘Maternidade’, do nosso Almada Negreiros, um dos companheiros e amigo de Fernando Pessoa. A Biblioteca agradece a sua visita e o seu comentário! Volte sempre a visitar-nos!

       

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: